Carro falhando: o que pode ser?

Em
Categorias Blog

Quando o automóvel está funcionando normalmente, acabamos nem percebendo se ele está com algum problema. Porém, só nos damos conta disso quando aparecem sintomas que indicam que o carro está falhando.

Existem alguns fatores que implicam na falha de funcionamento do motor do automóvel, sendo de suma importância percebe-los e verificar o que realmente está acontecendo.

Falhas elétricas e de alimentação em geral são as maiores fontes de problemas que farão o veículo falhar.

Causa elétrica

Entre as várias causas de um carro falhando, a parte elétrica é uma das maiores. Quando se percebe que o automóvel não anda como deveria, é melhor ficar atento aos sintomas para ter uma ideia do que está acontecendo.

Nesse caso da parte elétrica, cabos de vela, velas de ignição e bobinas, por exemplo, podem simplesmente falhar ou deixar de funcionar, gerando alterações no funcionamento do propulsor.

Quando se vê um carro falhando, uma das primeiras coisas que muitos fazem é imaginar que as velas estão gastas.

Sim, é preciso verificar o estado das velas de ignição, pois a carbonização pode surgir de uma mistura ar-combustível muito rica e alterar o funcionamento dos eletrodos da vela.

Isso pode fazer com que a centelha não tenha a mesma intensidade diante de uma camada espessa de material acumulado.

Então, deve-se retirar as velas e verificar seu estado, normalmente substituindo-as por novas. Os manuais dos automóveis indicam o tempo de troca entre as revisões periódicas.

Outro componente que pode fazer o carro falhar é o alimentador das velas, os cabos que vêm das bobinas. Revestidos em material protetor, os cabos de vela podem sofrer avarias, especialmente mecânicas.

O teste mede a corrente que é enviada para as velas de ignição. Se houver alguma alteração, será necessário trocar o conjunto.

Os cabos de vela, assim como as próprias velas de ignição, têm preços variados. Porém, outro componente importante pode ser avariado por velas de ignição e cabos em mau estado.

Trata-se da bobina, que atualmente é eletrônica e que converte a carga de 12V da bateria em até 45.000V para que haja centelhas elétricas na câmara de combustão.

A falha na bobina geralmente é em decorrência de falhas nas velas e cabos, o que acaba forçando esse componente.

Carro falhando com marcha engatada e solavancos quando em alta velocidade, são alguns dos sintomas de problemas na bobina, que também eleva o consumo. Preços e serviços variam de acordo com marca e modelo.

Alimentação de combustível

Fora a parte elétrica, outras coisas podem acabar num carro falhando. A alimentação é uma delas. Diversos problemas são associados com combustíveis e seus dispositivos de injeção do motor. Tratam-se de defeitos e problemas que podem ser facilmente resolvidos em oficinas especializadas.

Combustível, injeção eletrônica, filtro de combustível, bomba de combustível e bicos injetores podem apresentar defeitos e comprometer o funcionamento do propulsor.

Desses, o primeiro é aquele que mais ataca os veículos modernos atualmente, fruto da desonestidade de muitos donos de postos, que querem ganhar mais. Por isso, adulteram o combustível.

Gasolina com água, querosene ou com alto percentual de etanol, neste caso afetando automóveis movidos a gasolina, pode simplesmente contribuir para um carro falhando.

A baixa qualidade do produto fica abaixo no mínimo estabelecido pelo sistema de injeção eletrônica e em decorrência disso, gera uma queima pobre.

Além de derrubar o desempenho do automóvel, gerando também falhas, um combustível ruim – que também pode ser etanol misturado com outras substâncias ou mesmo diesel – afetará a injeção eletrônica, especialmente o chamado “TBI” que é o corpo da borboleta de admissão que pode estar sujo ou com falhas.

Dependendo de marca/modelo, o propulsor nem funciona como forma de proteção.

Outro elemento que pode gerar falhar de funcionamento é o filtro de combustível, afetado por impurezas presentes no produto que foi abastecido ao longo do tempo no veículo.

Assim, com o elemento sujo, a pressão do combustível para a injeção será menor e poderá gerar falhas no funcionamento, especialmente em baixas rotações. Se estiver entupido, não dará partida.

Os bicos injetores também são afetados por sujeira ou falhas elétricas. Eles pulverizam o combustível no coletor de admissão para que a mistura ar-combustível possa entrar com volume dentro da câmara de combustão e detonar.

Porém, a diminuição da vazão de combustível injetado apenas por um pouco, em torno de 10%, pode gerar falhas de ignição e funcionamento do motor.

O carro falhando terá desempenho irregular, elevação do consumo e emissão, podendo até mesmo simplesmente parar de funcionar, mesmo durante a condução.

A bomba de combustível é outro componente que contribui para um veículo falhando nas ruas. Sujeira na peneira interna ou até mesmo falha elétrica, pode fazer com que o veículo tenha problemas.

Em altas velocidades, o automóvel pode engasgar. Em baixa, além de trabalhar irregularmente, ele também está propício a morrer com facilidade.

Falta de força nas subidas, aquele efeito de empurrão sem acelerar e mesmo falha na partida, são sintomas de uma bomba com problemas.

Por isso, ao perceber qualquer dos sintomas acima descritos, busque uma oficina especializada para verificar todos os componentes que possam estar gerando falhas de funcionamento.

Fonte original do texto: Notícias Automotivas

0
196
Curtir ()